PREFEITURA E ENTIDADES DEBATEM CRIAÇÃO DE COORDENADORIA DE POLÍTICAS PÚBLICAS SOBRE DROGAS


Órgão teria a responsabilidade de integrar, em nível oficial, ações de conscientização, prevenção e atendimento a dependentes e familiares   


A criação de uma coordenadoria municipal de políticas públicas específica para tratar da questão das drogas foi o assunto da reunião realizada na manhã desta sexta-feira (09) entre o prefeito Ademário Oliveira e representantes do Centro de Apoio Desenvolvimento e Qualificação (Cadeq - entidade voltada para atendimento a dependentes e familiares), do Conselho Municipal de Saúde e Delegacia de Defesa da Mulher.

A proposta de criação da coordenadoria, nos moldes das já existentes no organograma da Prefeitura - voltadas para assuntos como igualdade racial e étnica, políticas para mulheres, idosos, juventude e pessoas com deficiência - foi feita pelo Cadeq, em documento entregue ao chefe do Executivo.


O documento traz uma análise do problema das drogas no Brasil, com dados da Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República, e também em Cubatão.  O Cadeq tem cadastrados, desde sua fundação, 2.413 dependentes químicos e já realizou 2.569 internações em clínicas de recuperação. Já o Centro de Atendimento Psicosocial (CAPS-AD), órgão da Prefeitura, atende cerca de 2.676 pacientes, entre homens e mulheres de diversas faixas etárias.

A Coordenadoria de Políticas Públicas Sobre Drogas, conforme o documento, teria por finalidade coordenar e executar as propostas a serem discutidas no Conselho Municipal Antidrogas (Comad), em fase de criação,  utilizando para isto todos atores que trabalham, de forma direta ou indireta, com a questão da dependência química no Município.

Esses atores são entidades sociais e setores públicos. "É o caso do próprio Cadeq, da Pastoral da Sobriedade, do CAPS-AD, da Casa de Emaús, do Centro POP, entre outros", diz o documento. "Cada um desses agentes, hoje, lida com a questão seguindo diretrizes próprias. A ideia seria que houvesse um órgão centralizador que coordenasse entre esses órgãos e entidades as ações a serem discutidas e sugeridas pelo Comad", explica o Cadeq.

Segundo Severino Eleno Mendonça Correia, presidente do Cadeq, a existência da coordenadoria permitirá, também, à Prefeitura, ter acesso a verbas e programas, em nível federal, voltados a incentivar a luta de prevenção às drogas e atendimento aos dependentes e familiares.

O prefeito Ademário Oliveira disse que a administração municipal considera bem-vindas as iniciativas voltadas a aperfeiçoar as políticas públicas antidrogas. Explicou que a criação da coordenadoria depende de uma reforma administrativa na Prefeitura e que o assunto será analisado quando ela for colocada em pauta.

Participaram também do encontro Serafim Neto, coordenador de comunicação do Cadeq; Odete do Carmo, assistente social do Cadeq; Alessandro Donizete de Oliveira, presidente do Conselho Municipal de Saúde e a titular das Delegacia da Mulher de Cubatão, Mayla Hadid.


Texto: Paulo Mota - MTb 12.814




0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo